Projeto VACCELERATE


Laura Marques
Pediatra


Laura Marques, Assistente Hospitalar Graduada de Pediatria, é a responsável pela Unidade de Infeciologia e Imunodeficiências e pelo Hospital de Dia Pediátrico do Centro Hospitalar Universitário do Porto (CHUPorto). É Professora Convidada do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto, e integra, enquanto investigadora, a equipa Clinical and Experimental Hematology and Immunopathology da Unidade Multidisciplinar de Investigação Biomédica do mesmo instituto.
Com uma vasta experiência na execução de estudos de investigação, foi escolhida para liderar a participação do CHUPorto no projeto VACCELERATE.
 

O projeto VACCELERATE - European Corona Vaccine Trial Accelerator Platform integra centros de ensaios clínicos de 16 estados-membros da União Europeia e cinco países associados. A Rede Nacional de Ensaios Clínicos em Vacinas está representada no projeto através do CHUPorto.
Esta plataforma conjunta tem um papel facilitador na realização de ensaios clínicos com vacinas contra a COVID-19 e é financiada pela União Europeia.
 
Fomos conhecer a perspetiva de Laura Marques, Coordenadora Nacional do projeto, sobre esta plataforma:


O que é o programa VACCELERATE?
 
VACCELERATE é um novo programa Horizon 2020 lançado em fevereiro de 2021, com o objetivo de acelerar os ensaios clínicos com vacinas contra a COVID-19 de fase 2 & 3. VACCELERATE reúne múltiplos stakeholders da Europa e países associados à União Europeia envolvidos no desenvolvimento de vacinas, para criar uma plataforma de acesso único para o desenvolvimento deste tipo de ensaios clínicos. 


O que significa para a instituição integrar este projeto?


O CHUPorto foi escolhido para representar Portugal neste programa europeu e sou a Coordenadora Nacional deste interessante projeto. Vai permitir integrar a rede europeia de centros para ensaios clínicos com vacinas. Irá proporcionar um upgrade na formação e capacitação dos Serviços já existentes na nossa instituição e eventual criação de novos centros. Este programa tem também uma vertente laboratorial que irá possibilitar um upgrade da nossa capacidade de testagem e de avaliação da resposta imune à vacinação. 
Iremos coordenar uma plataforma nacional de centros, o que irá permitir a participação de centros portugueses neste tipo de ensaios, praticamente inexistente até agora. Também está prevista a criação de um registo de voluntários para ensaios clínicos com vacinas, completamente inovador no nosso país. O interesse científico é enorme e poderá proporcionar, no futuro, um acesso mais fácil às vacinas e uma oportunidade para vacinação de grupos atualmente não contemplados, como as crianças e adolescentes, as grávidas e os doentes imunodeprimidos, bem como de pessoas que já tendo tido COVID-19 desejem ser vacinadas.


Como imagina o futuro deste programa, para além dos três anos que o financiamento atual abrange?
 
Este programa foi lançado em fevereiro de 2021 e está a ser desenvolvido de uma forma muito acelerada, tal como o nome indica. Vai permitir efetuar um amplo mapeamento de centros de ensaios clínicos com vacinas na Europa e estabelecer uma rede de centros devidamente preparados para a sua realização. Os ensaios desenhados pelos grupos que investigam vacinas irão começar a decorrer com maior celeridade. Já está a ser estudada uma segunda fase com ensaios desenhados e conduzidos no âmbito do VACCELERATE. Penso que é um programa muito relevante no presente e no futuro e constitui uma oportunidade magnífica para o CHUPorto e para Portugal!